Blog do Kramer
Música, cinema, literatura, comportamento e afins.

Supertramp

Supertramp – Crime of the century

Supertramp

Crime of the Century

Ano de lançamento: 1974

Crime é o terceiro álbum da banda inglesa, que se caracterizou por sua identidade única através de timbres e composições geniais, classificado tanto no estilo Pop quanto no Rock progressivo. Foi produzido por Ken Scott, um veterano que já havia trabalhado com os Beatles e David Bowie.

Contra-capa

O lançamento do álbum teve como carro chefe o single “Dreamer”, no qual permaneceu um bom tempo entre os primeiros nas paradas das rádios em diversos países. Além de ser reconhecido dentro do ranking dos críticos musicais mundial como um dos melhores e mais notáveis álbuns realizados, está também listado dentro do livro “1001 álbuns para se ouvir antes de morrer”

O disco é de cabo a rabo repleto de canções magníficas, muito bem arranjado e tocado, com especial atenção à mixagem, levando a um resultado final de excelentíssima qualidade. Além dos instrumentos convencionais, foram adicionados arranjos orquestrais em algumas músicas. Técnicos de som comumente usam este disco para testarem seus equipamentos, pois a timbragem traz toda gama de graves, médios e agudos de que precisam.

As letras também acompanham o alto nível do disco, conceitualmente falam de assuntos ligados a sentimentos intrínsecos do ser humano como o sonho e o medo, e outros como glamour, ambição e fama.

Os Supers

Em músicas como “Hide in your Shell” (uma das que mais gosto) e “IF veryone was listening” podemos encontrar o estilo melódico e ao mesmo tempo dramático de Roger Hodgson, em “Bloody well right” e “Rudy” Rick Davies esbanja seus talentos com influência do Blues, “Rudy” em especial, contém diversas passagens e mudanças de tonalidades, que vão se  encaixando para criar o clima e a temática (história) da música. “School”, com diversos andamentos, contagia com arranjos de bom gosto. “Dreamer” é uma das canções pop que mais fizeram sucesso dês de quando foi lançada até os dias de hoje. Em “Azylum” exploram o lado mais pesado, e fechando com chave de ouro, “Crime of the century” é uma belíssima canção, começando com a voz potente de Davies, e que nos faz viajar com os teclados e sax na parte final.

John Helliwell é um saxofonista que conhece muito bem jazz e blues, sabendo dosar e colocar cada nota no seu devido “timing”, encorpando, junto com o baixo de Dougie Thomson e a bateria de Bob Benberg, ainda mais o som do Supertramp.

A capa que completa a obra de arte, foi criada por Fabio Nicole, outro mestre em questão de arte. O visual dela se encaixa muito bem com a temática do disco.

Com Roger em 1996 e 2012

Com Roger em 1996 e 2012

Crime é uma obra atemporal, referência musical para gerações eternas !

Hide in your Shell:

http://www.youtube.com/watch?v=AaiYgVVpKdI

Crime of the century:

http://www.youtube.com/watch?v=Z2twluaMUfY

Onde encontrar: http://www.buscape.com.br/

Nenhuma resposta to “Supertramp”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: